Estados Unidos ratificam taxação de biodiesel argentino

A Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos ratificou nesta quarta-feira (06.12) a decisão de fixar sobretaxas de até 72,28% ao biodiesel de origem argentina, sugeridos pela Secretaria de Comércio em Novembro do ano passado.

A Comissão convalidou o argumento de subsídios à produção do biocombustível que existiriam na Argentina causaram danos à indústria norte-americana desse setor. A CCI considerou que o setor produtor de biodiesel americano “foi material prejudicado pelas importações de biodiesel da Argentina e da Indonésia que o Departamento de Comércio determinou que estão subvencionadas”.

Portanto, as sobretaxas ao biodiesel argentino ficaram ratificadas de 71,45% a 72,28%- percentual que foi aumentado depois da sanção prévia que estava em uma média de 57%. “Nesse voto afirmativo sobre o dano, junto com a determinação final dos direitos compensatórios do mês passado por parte do Departamento de Comércio pavimenta o caminho as ordens finais de direitos compensatórios a final de Dezembro”, expressou um comunicado da National Biodiesel Board (NBB), câmara empresarial que denunciou por subsídios e dumping.

O presidente da NBB, Donnel Rehagen, considerou que “este voto unânime é um avanço importante para abordar o dano causado por este comércio injusto ao biodiesel. A política energética dos Estados Unidos buscava criar um campo de jogo nivelado para o biodiesel nacional e importado, mas os subsídios do governo estrangeiro tem feito que seja quase impossível para os produtores americanos competir”.

Fonte : Agrolink