USDA praticamente não altera números para a soja

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou o primeiro relatório de oferta e demanda dos produtos agrícolas do ano de 2020 e praticamente não altera os números para a soja, elevando-os levemente em alguns casos. Em relação à produção mundial da oleaginosa, ela foi revisada para cima, passando de 337,48 milhões de toneladas no último relatório, para 337,7 milhões agora, sendo que os estoques finais globais também subiram, de 96,4 milhões para 96,67 milhões de toneladas. 

De acordo com esse relatório, a produção brasileira de soja deve permanecer em 123 milhões de toneladas, assim como o previsto anteriormente. Os níveis de exportação também permaneceram inalterados, em 76 milhões de toneladas, sendo que os estoques finais foram revisados para cima, de 30,42 milhões para 31,17 milhões de toneladas. 

Nos Estados Unidos está a principal mudança de estimativas, a produção foi aumentada de 96,62 milhões de toneladas para 96,83 milhões, com produtividade indo para 53,12 sacas por hectare. Além disso, as exportações permaneceram em 48, 31 milhões de toneladas, assim como os estoques finais, que fecharam em 12,93 milhões. 

Para a Argentina, não houve mudanças significativas, os estoques finais continuaram com as mesmas 25,89 milhões de toneladas. A produção deve permanecer em 53 milhões de toneladas e as exportações em 8,2 milhões. 

Além destes, o USDA agora traz números referente a oleaginosa na China. Sendo assim, os asiáticos devem colher um total de 18,1 milhões de toneladas, assim como já havia sido previsto. Os estoques finais que caíram de 20,16 milhões para 19,73 milhões de toneladas, com as importações permanecendo em 85 milhões de toneladas. 

Fonte : Agrolink